Contra a covid-19, 5G é montado em tempo recorde na China

Contra a covid-19, 5G é montado em tempo recorde na China

Voltamos aos primeiros dias de 2020. Nas províncias de Hubei e Zhejiang, na China, se propagava com velocidade assustadora uma nova e até então quase desconhecida doença, causando dificuldades respiratórias especialmente em idosos e superlotando os hospitais locais.

Com as unidades cheias, rapidamente surgiu a necessidade de troca de informações, imagens de exames em alta definição e de reuniões virtuais entre profissionais médicos e especialistas em universidades e centros de pesquisa, inclusive em outros países. Também se evidenciou a importância do recolhimento, tratamento e análise de grandes quantidades de dados. Tudo de maneira rápida, estável e confiável – e as redes 5G começavam, ali, a desempenhar um papel fundamental na luta contra a covid-19.

No início de 2020, as equipes locais da Ericsson entraram rapidamente em ação para fornecer infraestrutura de comunicações de missão crítica para onde ela era mais necessária – os hospitais permanentes e também os que surgiram de maneira improvisada no país, para abrigar os milhares de doentes que não paravam de chegar.

Tudo foi feito em tempo recorde, a ponto de quatro estações-base estarem em pleno funcionamento ao final de dois dias, com todos os sistemas de hardware devidamente instalados.

Duas forças-tarefa, compostas por 18 engenheiros e técnicos, receberam a tarefa, mais do que urgente, de apoiar a China Mobile Wuhan e a China Unicom Wuhan, duas das maiores operadoras locais, no lançamento de quatro estações de missão crítica, dedicadas apenas ao tráfego de dados com a velocidade, latência e disponibilidade requeridas, para o Hospital Wuhan Huoshenshan.

E não parou por aí: nos dias subsequentes, serviços de comunicação foram estabelecidos em três hospitais adicionais, incluindo o Terceiro Hospital de Ezhou, o Novo Hospital de Saúde Materno-Infantil de Qianjiang e o Centro de Controle de Doenças de Xiaogan Xiaonan.

5G garante confiabilidade na cobertura crítica na província de Zhejiang

No mês seguinte, o Grupo Provincial de Zhejiang Mobile começou a trabalhar em cinco novos hospitais para servir como instituições de diagnóstico e tratamento de ponto fixo para pacientes com casos confirmados de covid-19.

A conectividade móvel 5G de alta velocidade para apoiar a missão crítica do hospital também foi implementada pela Ericsson, que coordenou vários grupos de projetos no local e enviou pessoal equipado com máscaras, roupas de proteção integradas, óculos, luvas de borracha e álcool desinfetante para formular um plano abrangente de resposta a emergências.

LEIA MAIS

Depois que as instalações foram concluídas, a infraestrutura de rede tornou-se um facilitador crítico de serviços como telemedicina, teleconferência e outros métodos baseados em informações, fundamentais no combate ao coronavírus. E mais: permitindo que não só o pessoal de saúde, mas também funcionários de segurança pública e de empresas fundamentais para a sociedade permaneçam conectados durante a crise global.

O lado humano da tecnologia

Chen Zhi é gerente de contas móveis da Ericsson Hubei e liderou uma das equipes de resposta antecipada, em relação às quais a tecnologia não foi a única preocupação – e sim, ao lado dela, a garantia da plena saúde e proteção dos colaboradores.

Um dos primeiros problemas que Zhi enfrentou foi a diminuição da disponibilidade de materiais de proteção – materiais que estavam ficando mais escassos a cada dia. Ele coordenou com empresas de logística locais e vários departamentos para garantir que os materiais de proteção fossem recebidos e distribuídos aos funcionários da linha de frente em tempo hábil. Além disso, a equipe de Zhi lidou com um pedido de emergência de 26 estações base em Wuhan e 13 estações base em Xianning para serem usadas na prevenção de epidemias.

“Espero que, através deste trabalho, eu tenha sido capaz de contribuir um pouco para vencer esta batalha”, diz ele.

Já Wang Chaohua, engenheiro da GTC NRO e membro da equipe de projetos móveis Ericsson Hubei, participou da reunião de emergência. Lá, Chaohua soube que o Departamento de Engenharia Móvel de Wuhan implantaria a infraestrutura de rede móvel da Ericsson no Lar de Idosos da Caidian, bem como no Hospital Vulcan Mountain.

Foi no começo do dia que Chaohua colocou seu equipamento de proteção e correu para o hospital, para realizar a instalação e comissionamento da nova estação base. Em tempo recorde, ela foi ligada ainda antes das 23h.

“Quando a equipe viu que todos os indicadores estavam funcionando normalmente, tivemos um sorriso e um suspiro de alívio, como se as dificuldades físicas e psicológicas dos últimos dois dias tivessem desaparecido”.

___________________________________________________________________________

A Ericsson
reserva-se o direito de não ser responsável pela atualidade, correção,
completude ou qualidade das informações fornecidas. Consequentemente, serão
rejeitados os processos de responsabilidade civil relativos a danos causados
pelo uso de qualquer das informações fornecidas, incluindo informações de
qualquer tipo que sejam incompletas ou incorretas.