As redes 5G e o futuro da agropecuária

As redes 5G e o futuro da agropecuária

O 5G tem o potencial de impactar um grande número de indústrias, principalmente a agropecuária. Atualmente, esse setor representa 25% do PIB nacional, além de se mostrar promissor no país, com previsão de 3,1% de crescimento só em 2019, segundo o IBGE.  

Com o 5G, a agropecuária terá capacidade para se desenvolver ainda mais, já que poderá conectar tudo e ter respostas em tempo real, o que chamamos de Smart Farming (agricultura inteligente). Além disso, toda a cadeia de valor estará conectada, como insumos, logística, até o processamento e comércio de alimentos, além de outros produtos do campo. 

Como já comentamos aqui, as redes 5G podem ser 100 ou até 1000 vezes mais rápidas que as 4G, tornando a comunicação entre dispositivos e servidores muito mais dinâmica, permitindo uma série de novas aplicações que não eram possíveis. Isso reflete um cenário ideal para a utilização de tecnologia, possibilitando a transmissão de informações de sensores remotos para outras ferramentas importantes para a agricultura, como maquinários e drones.  

Muitos desses casos de uso requerem uma latência muito baixa, isto é, uma rede sem atrasos, onde possa ser possível controlar e interagir com máquinas e outros dispositivos em tempo real à distância. Existem alguns casos de uso com drones, que auxiliam em análises de vídeo via inteligência artificial para identificar danos às culturas, espécies invasoras (a exemplo das ervas daninhas) e uma série de outras questões que envolvem toda a linha do agronegócio.  

Outras áreas também podem ser beneficiadas com o uso do 5G, como o controle de tratores autônomos ou processos de fertilização e irrigação, uma vez que disponibiliza dados em tempo real para ações rápidas, utilizando medidas exatas de recursos como água, defensivos agrícolas, fertilizantes, entre outros produtos, impactando diretamente no aumento da produtividade. 

Porém, não somente em relação à distância do controle com as máquinas, mas também será melhor aproveitado a questão de múltiplos objetos. Com a baixa latência, será possível que eles trabalhem e respondam ao usuário de modo dinâmico. Essas operações agrícolas, quando realizadas de maneira eficiente, são vitais para sustentar a crescente indústria de agronegócios e permite que agricultores e pecuaristas identifiquem a aplicação de insumos em tempo hábil para remediar problemas de uma maneira mais assertiva. No final, é a conectividade em tempo real que permite essas decisões. 

A tecnologia do 5G virá para melhorar o uso da tecnologia, com mais velocidade e baixa latência, o que irá proporcionar a mudança de técnicas agrícolas, assim como a estrutura de fazendas, inclusive em relação a integração vertical. Além disso, no âmbito social, essas mudanças virão com uma fiscalização política mais criteriosa e eficiente, principalmente, em relação as questões de agir em tempo real, e, claro, a tão sonhada food transparency, que significa justamente a informação sobre o que ocorre com os alimentos de fácil acesso para os consumidores. Outras tecnologias que dependem da conectividade e digitalização, como o blockchain, poderão ser usadas nessas aplicações. 

Por fim, haverá ainda um grande número de aplicações da tecnologia em outras partes da cadeia de valor do agronegócio. Uma parte importante é a logística, dada a grande quantidade de grãos e outros produtos que são transportados e, em especial, considerando as dimensões continentais do Brasil. A logística no país ainda é cara e, para que o agronegócio possa ter mais competividade nas exportações, é fundamental endereçar também esses desafios. Estes que passam por aplicações, como definição de rotas, acompanhamento de frotas de caminhões, coordenação com outros modais de transporte como hidroviário e ferroviário, integração com a automatização de portos e outros terminais inteligentes, aplicação de inteligência artificial para melhor gestão de riscos e consequente redução de custos com seguros, acompanhamento em tempo real da qualidade e eficiência da estocagem de grãos, monitoramento das condições de resfriamento no transporte de carnes, entre outras.  

Todas elas acontecem fora do campo, mas são parte importante do agronegócio. O 5G vai permitir conectar toda a cadeia de valor, trazendo produtos de maior qualidade, reduzindo perdas e aumentando a eficiência dessa que é a indústria mais importante da economia brasileira. 

___________________________________________________________________________

A Ericsson
reserva-se o direito de não ser responsável pela atualidade, correção,
completude ou qualidade das informações fornecidas. Consequentemente, serão
rejeitados os processos de responsabilidade civil relativos a danos causados
pelo uso de qualquer das informações fornecidas, incluindo informações de
qualquer tipo que sejam incompletas ou incorretas.