Como o 5G transformará o sistema de saúde?

Como o 5G transformará o sistema de saúde?

O setor de saúde sofreu diversas mudanças nos últimos anos com o advento da tecnologia. Com a chegada do 5G, uma nova revolução está no horizonte desse segmento. A combinação de comunicação mais rápida oferecida pela quinta geração de redes móveis, com latências mais baixas, promete transformar a área de saúde como a conhecemos, fornecendo novas opções de serviços médicos e do uso de dados dos pacientes de maneira mais eficiente e segura, respeitando a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). 

De acordo com o IDC, em 2020, a indústria de saúde produzirá 2,314 exabytes de dados, o equivalente a 2.314 quatrilhões de gigabytes. Mesmo sendo um volume de informação intenso, as redes 5G fornecem velocidades de transferência de dados quase instantâneas, o que causará um enorme impacto em todos os dispositivos conectados na área da saúde. 

Como os serviços de telemedicina exigem muita largura de banda, a tecnologia e o monitoramento remoto de pacientes serão revolucionados pelo 5G. A transferência de grandes arquivos de imagens médicas é feita de maneira rápida e confiável, levando a uma melhor qualidade de atendimento. Com redes que podem fornecer a alta velocidade necessária para vídeos de alta qualidade, a telemedicina terá a capacidade de fornecer atendimento em locais onde não podia antes. 

Para procedimentos médicos, o 5G será útil quando a consulta tiver que ser realizada com médico e paciente a quilômetros de distância um do outro. Isso aconteceria por meio de um dispositivo que passa as informações sobre o paciente em questão de segundos para o médico.  

Fora isso, devido à baixa latência oferecida pela quinta geração de rede móvel, até mesmo cirurgias e outros procedimentos poderão ser realizados à distância. Para isso, serão necessários robôs-cirurgiões e ferramentas de realidade virtual adequados e compatíveis com 5G. 

Em relação aos impactos sociais, o 5G trará a oportunidade de mais acesso à saúde, como consultas de lugares remotos. Ou seja, um médico especialista em determinada área, poderá auxiliar remotamente o atendimento de um clínico geral em outro local para um procedimento mais específico. Isso poderá auxiliar ONGs, por exemplo, que muitas vezes são defasadas por não terem uma equipe técnica tão abrangente. 

Além disso, com a possibilidade de atendimento à distância, a cobertura de um atendimento vai ser maior e poderá chegar para mais pessoas, que terão o poder e a liberdade de escolher por mais opções de serviços. 

Outro avanço importante é a possibilidade de monitoramento em tempo real de pacientes, inclusive, com a possibilidade de realizar ações de emergência em caso de urgência. Isso poderá ser uma aplicação mais comum em doenças crônicas, nas quais os pacientes podem ter sinais importantes monitorados em tempo real. 

Há uma infinidade de inovações que serão impulsionadas pela introdução do 5G, as possibilidades são ilimitadas. Toda a gama de tecnologias disruptivas em assistência médica, incluindo Realidade virtual, Realidade Aumentada, Inteligência Artificial, Big Data, Internet das Coisas (IoT), monitoramento remoto e robótica, será levada ao próximo nível após a adoção do 5G.