Expansão do 5G pelo mundo conta com 100 acordos de redes assinados pela Ericsson

Expansão do 5G pelo mundo conta com 100 acordos de redes assinados pela Ericsson

As redes celulares de quinta geração vivem um momento de grande expansão pelo mundo, suportando diversos tipos de aplicações – seja em indústrias, cidades conectadas, para consumidores (em smartphones e expansão da banda larga fixa), saúde (inclusive em soluções para o combate à pandemia da covid-19), educação e muitas outras, incluindo pesquisa de novos produtos e serviços.

Um marco importante foi alcançado recentemente – a Ericsson celebrou o centésimo acordo comercial para o 5G com provedores de serviços de comunicação. Em plena operação, na prática, estão 56 redes ativas globalmente, todas com tecnologia da empresa, nos cinco continentes, ao lado de mais 58 acordos de implementação anunciados publicamente.

O total das primeiras 100 redes foi celebrado em 12 de agosto, com o anúncio do acordo com a Telekom Slovenije, da Eslovênia, que contará com a tecnologia Ericsson para implementar sua rede 5G. A jornada começou em 2014, ano em que ocorreu a primeira assinatura comercial de rede por parte da Ericsson.

O MOMENTO 5G

Muito mais do que uma tecnologia apenas de conexão para smartphones nas mãos dos usuários – onde inclusive o 5G “dá um show” de velocidade e estabilidade – as redes de quinta geração vêm sendo motores de transformação digital e de negócios em diversas verticais, inclusive nas operadoras.

Com as várias possibilidades de aplicação do 5G, as operadoras passaram a reinventar seus produtos e serviços de modo a oferecer soluções completas de conectividade. Bandas altas, baixas e médias possibilitam essas aplicações “sob medida”.

A Ericsson trabalhou com provedores de serviços, universidades, institutos de tecnologia e parceiros da indústria para desenvolver e buscar negócios em 5G, bem como casos de uso por consumidores. Esses casos de uso incluem automação de fábrica, escritórios inteligentes, cirurgia remota e outras aplicativas corporativos e da Indústria 4.0. Algumas parcerias resultaram na implantação de redes 5G dedicadas, inclusive nas instalações de produção da Ericsson em todo o mundo.

Por exemplo: um grande centro médico que utiliza a conectividade em procedimentos médicos à distância, pode contar com um produto 5G específico com latência mais baixa e tendo assegurada uma velocidade mais alta, por causa do uso necessariamente crítico (e que não pode falhar). Da mesma forma, indústrias onde a operação de máquinas pesadas faz parte da rotina podem contar com esse serviço, assim como provedores de serviço estão fazendo uso, em algumas áreas dos Estados Unidos, do 5G para levar serviços de banda larga fixa às casas dos consumidores, substituindo a fibra ótica no final das linhas de conexão (last mile), no serviço conhecido como FWA (Fixed Wireless Access).

Nesse sentido, a Ericsson implantou o 5G em bandas altas, médias e baixas em diferentes ambientes urbanos, suburbanos e rurais para suportar casos de banda larga móvel aprimorada e de acesso fixo sem fio. Em alguns mercados 5G avançados, os provedores de serviços de comunicação estão oferecendo realidade aumentada habilitada para 5G e serviços de realidade virtual em educação, entretenimento e jogos.

Essas implantações incluem 5G não autônomo, 5G autônomo e a tecnologia de compartilhamento de espectro da empresa, o ESS (Ericsson Spectrum Sharing), que inclusive está em uso no Brasil nas redes da Claro, na primeira implementação comercial de 5G no País. Elas também incluem recursos nativos de nuvem com o modo dual 5G Core da Ericsson.

O CEO global da Ericsson, Börje Ekholm, afirma que as necessidades dos clientes têm sido centrais para o desenvolvimento e a evolução da nossa tecnologia 5G desde o início. “Estamos orgulhosos de que esse compromisso resultou em 100 provedores de serviços de comunicação exclusivos, selecionando globalmente nossa tecnologia para impulsionar suas ambições de sucesso em 5G. Continuamos colocando os nossos clientes no centro do palco para ajudá-los a levar os benefícios do 5G aos seus assinantes, indústria, sociedade e países como uma infraestrutura nacional crítica”.


A Ericsson reserva-se o direito de não ser responsável pela atualidade, correção, completude ou qualidade das informações fornecidas. Consequentemente, serão rejeitados os processos de responsabilidade civil relativos a danos causados pelo uso de qualquer das informações fornecidas, incluindo informações de qualquer tipo que sejam incompletas ou incorretas.