O Brasil está preparado para o 5G?

O Brasil está preparado para o 5G?

Entre conversas sobre o leilão de frequências, o Brasil caminha para alcançar outros países que já desfrutam de uma internet com alta velocidade e baixa latência, entre outros benefícios que o 5G traz para sociedade e indústria. Mas, mesmo com o processo iniciado, o país ainda tem muito a caminhar para que a cobertura seja efetiva em âmbito nacional. Os maiores desafios no país são o crescimento de tráfego de assinantes, necessidade de aumento da eficiência operacional e novos serviços. 

Para isso, cada país desenvolveu uma estratégia de implementação, se primeiro disponibilizado o 5G para o público B2B ou B2C e até quais seriam as mudanças de equipamentos. Quando tratamos do Brasil, é necessário entender que se trata de um território grande, o que dificulta o atendimento de banda larga por fibra em todas as regiões.  

Ou seja, a quinta geração de banda chega como uma opção para o acesso à internet. No caso brasileiro, a escolha da implementação será baseada na priorização de compromissos com o desenvolvimento social.   

Já em relação aos fatores técnicos, a opção foi feita pela simplicidade do compartilhamento de espectro, por meio do uso de Spectrum Sharing, com a introdução nos rádios 4G já existentes, por exemplo. Além do Radio System, que são rádios já existentes, preparados para a quinta geração, com suporte de duas a três bandas e um Baseband (placa de processamento), que tem capacidade para suportar tanto a quarta, quanto a quinta geração. 

Além disso, também serão utilizadas novas faixas de frequência, principalmente, as que serão leiloadas pelo Governo no ano de 2020. Também é possível realizar a ativação do 5G sobre o espectro usado hoje, por meio das redes 4G, de modo simultâneo. 

Para que seja fácil essa transição, será feito o reaproveitamento dos sites existentes de 4G, com o acréscimo de equipamentos, como demonstrado na figura abaixo: 

A previsão é de que, em 2024, 20% do tráfego de dados móveis sejam das redes 5G. Ou seja, deve aumentar em cinco vezes. Então, outro desafio é a relação com os modelos de negócios das franquias. 

Com uma velocidade alta, o 5G acaba consumindo mais do pacote de dados, pois habilita novas funções. Assim como, nas indústrias e outras empresas, fica claro que a flexibilidade de aplicações exigirá mais foco em cada setor, diferenciando as vendas de serviços. Ou seja, a forma como se vende internet hoje também precisará ser repensada.