O comportamento do consumidor em relação ao 5G

O comportamento do consumidor em relação ao 5G

O 5G já é uma realidade. À medida que a adoção do serviço avança em diferentes partes do mundo, novas pesquisas ajudam a entender as melhores aplicações e usos para o público e indústrias. Por isso, a Ericsson Consumer & IndustryLab realiza estudos em busca de insights e inovação para o desenvolvimento sustentável de novos casos de negócio. Tudo isso para entender como será o futuro da conectividade para os consumidores, as indústrias e a sociedade. 

Existe uma discussão pública sobre alguns mitos acerca de o 5G ser uma tecnologia voltada apenas para as indústrias e não consumidores. Mas é apenas um boato, já que o primeiro grupo a ser favorecido pela quinta geração de rede móvel é a sociedade, inclusive, é um dos maiores pilares para o desenvolvimento de novas tecnologias para as pessoas. 

As pesquisas da Ericsson Consumer & IndustryLab, feitas com consumidores de 40 países que já implementaram ou não a tecnologia 5G, revelam que a maior parte das pessoas espera que a nova rede ofereça uma mudança radical no desempenho. Além do que já sabemos sobre maior velocidade e menor latência, eles também esperam um alívio de congestionamento em áreas urbanas, assim como mais opções de banda larga residencial.  

Esses mesmos consumidores veem valor na experiência que o 5G propõe, principalmente, pelos casos de uso que se tornaram públicos, veja aqui alguns deles (texto sobre casos de uso). 67% dos entrevistados nas pesquisas dizem que apesar de no começo o serviço ser mais caro, vale a pena pagar devido aos benefícios. 

Sobre as gerações anteriores, de acordo com as pesquisas, 43% disse que o maior problema com o 4G era utilizá-lo em regiões com muita gente. A cada 10 cidades metropolitanas, 6 reportaram sofrer com essa dificuldade. Isso mostra o quanto os consumidores prezam por um alto desempenho de rede. Eles estão dispostos, inclusive, a trocar de operadora caso a que usam atualmente não disponibilize a opção de ter o 5G.  

A pesquisa relatou que estes são mais da metade da China, um terço da Coréia do Sul e, nos casos dos EUA e Austrália, um a cada quatro consumidores farão a mudança dentro de seis meses. Outra informação interessante é que 8 em cada 10 entrevistados também consideram trocar o serviço de cabo utilizado dentro de suas casas pelo 5G. Essa opção se deve não só à alta velocidade e menor latência, como também devido à maior flexibilidade de uso da rede móvel. 

O consumidor poderá desfrutar de um desempenho superior às redes atuais, em diferentes aplicações: entretenimento, jogos, aplicações com AR/VR, Smart Home, acesso sem fio, produtos automotivos, compras e comunicação imersiva. 

Ou seja, o 5G oferece muito mais do que o acesso à internet no smartphone, também apresentará um futuro no qual inúmeras tecnologias se tornarão muito mais acessíveis, como robôs e carros autônomos, por exemplo. Mas quando o assunto são as telas, o consumidor poderá ter acesso a conteúdo customizáveis e imersivos, por meio do uso de óculos de realidade virtual. Hoje as aplicações de vídeo já são o maior componente do volume de dados que trafega nas redes móveis e, com novos usos, essa tendência só deve aumentar.