Oportunidades para os desconectados no campo

Oportunidades para os desconectados no campo

A fibra é a principal tecnologia que leva internet pelo Brasil, mas ainda não é possível alcançar todas as regiões, o que deixa muitas pessoas sem acesso em suas casas. Segundo a última pesquisa TIC Domicílios, que saiu em agosto de 2019, 30% das pessoas ainda não utilizam qualquer rede de internet, e esse número cresce ainda mais quando é analisada separadamente a área rural (51%).  

Como a sociedade molda o mercado, com a chegada da indústria 4.0, fica evidente que as pessoas que não possuem acesso à internet e, por consequência, à informação, estarão cada vez mais à margem da sociedade, sem oportunidades. Por isso, o 5G também terá um papel essencial em prover um serviço mais acessível de banda larga para o campo, áreas rurais e remotas. 

Um dos focos de implementação da rede é a agricultura, o que trará a tecnologia mais perto da população que vive em áreas difíceis para instalação da fibra. Antes dos 5G, os desafios eram muitos para essas regiões, principalmente em relação à distância entre a cidade e o campo, com 15km entre eles, o que torna ainda mais difícil ter alguma conexão.  

Outro problema em relação a grandes fazendas e produtores rurais é a extensão dos terrenos, o que causa dificuldade de acesso à internet e que, caso esteja disponível, geralmente se concentra em uma sede. Com o desenvolvimento de novos casos sobre o uso de IoT no campo, a necessidade por conectividade também aumenta.  Por isso, essas novas aplicações podem aumentar a produtividade e oferecer novas oportunidades para essas empresas e seus funcionários. 

Diminuir a desigualdade social é uma das metas da implementação do 5G, já que levar conectividade ao campo pode gerar grandes benefícios à população nas áreas da educação, saúde e até a oferta plena de cidadania.  

A estimativa do McKinsey Global Institute é de que o impacto positivo do IoT no mundo chegará a até US$ 362 bilhões. O estudo do BNDES foca no ambiente rural e prevê US$ 21.1 bilhões até 2025. Se analisarmos números brasileiros, já que o país é um dos maiores exportadores de alimentos do mundo, 46% das exportações suprem o mundo e 21% do PIB do país equivale a essas vendas. Por esses fatores, uma das prioridades na implementação dessa tecnologia é justamente criar oportunidades para o agronegócio. Outras verticais que serão transformadas incluem: indústrias de base e manufatura avançada, logística, saúde, segurança pública e educação. 

___________________________________________________________________________

A Ericsson
reserva-se o direito de não ser responsável pela atualidade, correção,
completude ou qualidade das informações fornecidas. Consequentemente, serão
rejeitados os processos de responsabilidade civil relativos a danos causados
pelo uso de qualquer das informações fornecidas, incluindo informações de
qualquer tipo que sejam incompletas ou incorretas.