Tecnologia DSS, da Ericsson, está na base da primeira rede 5G do Brasil

Tecnologia DSS, da Ericsson, está na base da primeira rede 5G do Brasil

O 5G está chegando ao Brasil, antes mesmo do leilão de distribuição de frequências a ser promovido pela Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel. Mas como?

A resposta está em uma tecnologia que permite compartilhamento dinâmico de espectro que foi desenvolvida pela Ericsson – disponível no mercado desde o início desse ano Ericsson Spectrum Sharing (ESS). É por meio dela que uma rede já existente e operando em 4G irá, também, oferecer a conectividade 5G, aproveitando as mesmas frequências em operação, enquanto se espera pela alocação das faixas específicas para a quinta geração, após o leilão da Anatel.

Em anúncio oficial, a operadora Claro Brasil informou que essa implementação de 5G será feita, inicialmente, em 12 bairros das cidades de São Paulo e outros 9 no Rio de Janeiro, nas faixas de 2.600, 2.100, 1.800 e 700 MHz. O 5G DSS permitirá que a rede passe a distribuir dinamicamente, e de maneira automatizada, os recursos de conectividade entre os smartphones atuais, que operam nas gerações 3G, 4G e 4.5G, e os aparelhos mais novos, que em breve serão disponibilizados no mercado, já funcionando em 5G. Assim, ninguém ficará sem conexão, não importando a geração móvel que usar.

Com a tecnologia, a operadora também ganhará em rapidez na implementação do 5G e terá grande economia de recursos, já que as frequências a serem utilizadas já estão em posse da operadora, adquiridas em um leilão anterior, eliminando assim a necessidade de investimentos imediatos mais pesados.

A disponibilização aos clientes  é praticamente imediata e sem a necessidade de operações complexas como a colocação de grandes volumes de equipamentos nas torres. Por seu lado, os clientes passam a contar com essa transição muito mais rapidamente. (leia mais aqui)

ONDE O 5G JÁ VAI FUNCIONAR>>>

 A primeira rede 5G da América Latina, inicialmente, estará disponível em São Paulo (na Avenida Paulista e Jardins, e, depois nos bairros Campo Belo, Vila Madalena, Pinheiros, Itaim, Moema, Brooklin, Vila Olímpia, Cerqueira César, Paraíso, Ibirapuera e Santo Amaro. No Rio de Janeiro, funcionará em Ipanema, Leblon e Lagoa, e, mais tarde, nos bairros do Leme, Barra da Tijuca, Jardim Oceânico, Joá, São Conrado e Copacabana. Posteriormente, essas áreas de cobertura serão expandidas para outros bairros e cidades. 

Fonte: operadora Claro. O sinal deve ser ativado a partir de 13/7/20

Num primeiro momento, o modelo 5G DSS vai permitir velocidades de navegação até 12 vezes superiores aos padrões atuais, atingindo em torno de 400 megabits por segundo. Para usufruí-las, os clientes deverão dispor de um smartphone compatível com o 5G – a Motorola está lançando no mercado nacional dois celulares que poderão ser adquiridos desde já, os modelos Edge e Edge+, que funcionam com sistema operacional Android. Ambos são dotados de processadores Qualcomm de última geração, da linha Snapdragon, o 765 e o 865, respectivamente, que além de proporcionarem ótimo desempenho são compatíveis com as redes de quinta geração.

Num primeiro momento, o modelo 5G DSS vai permitir velocidades de navegação até 12 vezes superiores aos padrões atuais, atingindo em torno de 400 megabits por segundo. Para usufruí-las, os clientes deverão dispor de um smartphone compatível com o 5G – a Motorola está lançando no mercado nacional dois celulares que poderão ser adquiridos desde já, os modelos Edge e Edge+, que funcionam com sistema operacional Android. Ambos são dotados de processadores Qualcomm de última geração, da linha Snapdragon, o 765 e o 865, respectivamente, que além de proporcionarem ótimo desempenho são compatíveis com as redes de quinta geração.

É importante destacar que o leilão da Anatel, a ser realizado no ano que vem, disponibilizará às operadoras faixas de frequência específicas para o 5G. Com isso, será adicionado o espectro de 3,5 GHz e as faixas de onda milimétricas, com maior capacidade de banda, para atender a aplicações mais críticas e que exijam mais velocidade.

Além de abrir o caminho para diversos aplicações em negócios em ambientes das cidades, industriais, educacionais, de saúde, domésticos, dispositivos de internet das coisas, entretenimento, agronegócio, etc essas faixas contarão com bandas de frequência mais largas, possibilitando a plena velocidade de navegação e a exploração da capacidade total da quinta geração, para todos os tipos de usuários.

Esse passo, porém, levará um pouco mais de tempo: por utilizar frequências mais altas que as atuais, as novas faixas alocadas para o 5G exigirão a implantação de uma maior quantidade de antenas, para garantir cobertura e capacidade. A jornada rumo à solução definitiva e esperada do 5G, portanto, será longa e ainda vai requerer muito investimento, trabalho e tempo para implantação em todo o País.

É justamente aí que a tecnologia DSS, da Ericsson, faz diferença: de maneira pioneira, ela permite que, desde já, o 5G seja disponibilizado em uma faixa usada pelo 4G.

É importante destacar que o leilão da Anatel, a ser realizado no ano que vem, disponibilizará às operadoras faixas de frequência específicas para o 5G. Com isso, será adicionado o espectro de 3,5 GHz e as faixas de onda milimétricas, com maior capacidade de banda, para atender a aplicações mais críticas e que exijam mais velocidade.

Além de abrir o caminho para diversos aplicações em negócios em ambientes das cidades, industriais, educacionais, de saúde, domésticos, dispositivos de internet das coisas, entretenimento, agronegócio, etc essas faixas contarão com bandas de frequência mais largas, possibilitando a plena velocidade de navegação e a exploração da capacidade total da quinta geração, para todos os tipos de usuários.

Esse passo, porém, levará um pouco mais de tempo: por utilizar frequências mais altas que as atuais, as novas faixas alocadas para o 5G exigirão a implantação de uma maior quantidade de antenas, para garantir cobertura e capacidade. A jornada rumo à solução definitiva e esperada do 5G, portanto, será longa e ainda vai requerer muito investimento, trabalho e tempo para implantação em todo o País.

É justamente aí que a tecnologia DSS, da Ericsson, faz diferença: de maneira pioneira, ela permite que, desde já, o 5G seja disponibilizado em uma faixa usada pelo 4G.

FRASE

“A chegada do 5G DSS é o primeiro passo para a digitalização do País e reflete o pioneirismo da Ericsson e nosso compromisso em contribuir com o avanço tecnológico no Brasil. Hoje somos a empresa responsável pelo maior número de redes 5G ativas no mundo, com 45 no total espalhadas em 25 países. A chegada do 5G DSS no Brasil traz um avanço importante para a implantação dessa tecnologia no país e estamos orgulhosos em liderar esse movimento, em conjunto com a Claro”

Eduardo Ricotta, Presidente da Ericsson para o Cone Sul da América Latina.


A Ericsson reserva-se o direito de não ser responsável pela atualidade, correção, completude ou qualidade das informações fornecidas. Consequentemente, serão rejeitados os processos de responsabilidade civil relativos a danos causados pelo uso de qualquer das informações fornecidas, incluindo informações de qualquer tipo que sejam incompletas ou incorretas.